Futebol e muita chuva

Cheguei em casa molhada. Muito molhada. Choveu. Sem parar. Até aí, nada de mais. Eu fui ao estádio de capa de chuva, com capuz e tudo.Levei um plástico para colocar no assento molhado. O problema, no entanto, era o chão. Nâo era uma poça, mas um piscinão. O chão do local onde sentei estava alagado. Tive que ficar com a ponta dos pés para cima para não passar duas horas com os pés dentro da inundação. Pé molhado é muito chato.

Mas o jogo foi ótimo, o programa valeu, mais pela família.

De qualquer forma, chegar em casa e colocar uma meia quente nos pés foi realmente ótimo!

Domingo

http://www.youtube.com/p/F93A8CDF1DDD266B&hl=en_US&fs=1

Vamos todos para Santos, pra Vila, ver Santos X Corinthians.

Se você tiver algum tempo livre e vontade as Twistórias que fiz até agora (73), do projeto de 140, fiz uma Playlist. Elas ‘passam’ automaticamente, não precisa clicar nada, só a primeira. Do lado direito tem opções para randomizá-las ou interromper a exibição.

O link está aqui.

O link para todas as 73 aqui.

Enquanto eu dormia

Acordei com o rádio relógio dando notícias de um terremoto. Durante a madrugada, um terremoto de 8,8 graus na escala Richter, atingiu o Chile, matando mais de 70 pessoas. O país está em estado de catástrofe. O aeroporto de Santiago fechou por tempo indeterminado. Acabou a energia.Horas depois ‘alertas de tsunamis foram disparados pelo Centro de Advertência de Tsunami para o Pacífico dos Estados Unidos para Colômbia, Panamá, Costa Rica e Antártida e em seguida para a América Central e Polinésia francesa’.

Em São Paulo, os bombeiros receberam relatos de pequenos tremores.

Ontem à noite, o secretário de saúde de Porto Alegre foi assassinado.

Segui ouvindo outras notícias de mortes, crimes, problemas e pensei: tudo isso aconteceu enquanto eu dormia?

Juro, quase me senti culpada por ignorar o sofrimento alheio.

Bom dia.