Adeus, minha querida Hebe

8 de março pra mim nunca foi o dia internaciona da mulher, mas o dia interplanitário da Hebe Camargo. Era nesse dia que ela fazia aniversário.

Quando fui diretora artística da Rede Mulher, que também aniversariava no mesmo dia, convidei Hebe para ser madrinha oficial da emissora. Ela aceitou. Vestiu uma roupa azul belíssima e foi ao programa que eu apresentava. Levou champagne. Brindou. Fez uma festa.

Depois eu fui ao programa dela. Leveii lã e agulhas e fiz tricô no sofá. Foi uma delícia.

Há algum tempo, fui ao programa da Hebe entrevistar o Boechat. Acho que reprisou outro dia, porque muita gente que me conhece e viu comentou comigo sobre a roda de mulheres.

Já fui visitar Hebe em sua casa e sempre fui recebida com muita alegria. Ela era uma festa. Lembro que um de seus mais fieis funcionários tinha o cabelo loiro chanel igual ao dela.

Hebe foi uma mulher simples e sofisticada. Sem grandes estudos, mas com uma sabedoria de vida impressionante. Tinha algumas preferências políticas duvidosas. Ela gostava do Maluf, que sempre abominei. Mas nunca olhei para Hebe pelas diferenças entre nós e sim por tudo o que ela foi. Batalhadora, independente, corajosa. Livre. Sempre falou o que bem entendeu, com ou sem aprovação do patrão. Se alguém a censurava ela dizia no ar.

Hebe e seu sofá criaram um template de entrevistas. Suas roupas definiram um padrão. Suas jóias eram ícones do seu luxo em ter se tornado uma unanimidade respeitada por todo o Brasil.

Há pouco, depois de servir o almoço aqui na praia, deitei na rede e abri o Twitter. E vi um tweet do Zé de Abreu dizendo RIP Hebe Camargo. O ator não brincaria com isso. Corri pro R7 e vi a notícia na capa.

Fiquei triste. Me senti morrendo um pouco. Fiquei triste pela minha mãe que vai fazer 80 e adora a Hebe.

Hebe morreu. Difícil acreditar. Sua risada vai ecoar por toda a minha vida.
Obrigada, Hebe.
Por tudo.
Eu vou tentar viver o resto da minha vida tentando ser uma pessoa gracinha.

Todas as plataformas de comunicação em um dia

http://www.spreaker.com/embed/player/mini?autoplay=false&color=e8e8e8&episode_id=1551132

1. Aula – offline, ao vivo
2. Videos do R7 aqui no blog – on demand, público
3. Palestra e debate no #SMWSP – ao vivo e em live streaming aberto
4. Entrevista Vivo – gravado
5. Entrevista TCC – gravado
6. Jornal da Record News – ao vivo, broadcast, TV
7. Jornal da Record News – ao vivo, broadcast R7
8. Podcast (este) – ao vivo, streaming (broadcast) em áudio

Como não ficar maravilhada com todas essas possibilidades?

Teste de Personalidade, Google e conteúdo em vídeo

http://videos.r7.com/r7/service/video/playervideo.html?idMedia=5064a27092bb2327731a12dc

Teste de personalidade. Sempre bom fazer.

http://videos.r7.com/r7/service/video/playervideo.html?idMedia=5064fb1192bb2327731a1322

Ontem, JRNews: falando de conteúdo em vídeo em 2014.

http://videos.r7.com/r7/service/video/playervideo.html?idMedia=5064fbe392bb2327731a1325

O que eu achei da prisão do diretor do Google no Brasil.

Social Media Week SP no MIS: assista ao Vivo

Então, gente!

E tem transmissão ao vivo?

E eu vou dar uma palestra sobre plágio, às 3 da tarde.
Depois participo de um debate muito legal mediado pelo Pedro Tourinho, sobre TV e Internet.

Saiba mais aqui e pesquisando pela hashtag #smwsp no Twitter.

Programação aqui:

PALCO – THINK TANK STAGE

15h00 às 15h30 | PALESTRA: ALI BOBEIRA E OS 40 KIBADORES
Uma lenda verídica sobre autoria, roubo, plágio, criatividade e a nova moral da nossa história.
Palestra com Rosana Hermann, Gerente de Inovação do portal R7. Além disso, Hermann também é física, radialista, jornalista, roteirista de televisão desde 1983, professora de roteiro na FAAP em SP, apresentadora e repórter de TV, escritora, blogueira no Querido Leitor há 10 anos, twitteira viciada, jurada do prêmio The Bobs da Deutsche Welle pelo Brasil e palestrante internacional.

16h00 às 17h30 | OI OI OI: UMA CONVERSA SOBRE SOCIAL TV
Não, a internet não vai matar a televisão, ela vai SALVÁ-LA! O futuro da televisão está na internet ou, mais precisamente, nas smart tvs e no hábito cada vez mais comum da galera de assistir TV e usar o celular, o tablet, o computador ou qualquer outro ponto de conexão possível. Segundo o IBOPE, 48% dos brasileiro navegam na internet enquanto assistem TV e, de acordo com o Google, 90% o faz em pelo menos quatro dispositivos diferentes. A ligação entre a TV e a pulicidade é um dos assuntos que vai definir o futuro da comunicação no mundo todo. Sua marca está pronta para esta integração?

Debate com Cazou Vilela (Diretor de Planejamento da TV1.com), Diego Higgins (Head de Mobile & Connected TV do Yahoo!), Rosana Hermann (apresentadora, repórter e roteirista de TV desde 1983, é Gerente de Inovação do R7), Danilo Toledo (sócio-fundador da i.ndigo, empresa brasileira parceira da AT&T (US) que criou aplicativos de Second Screen para NBC, Telemundo e NBA) , Alessandro Barbosa Lima (CEO da e.Life, que publicou estudos recentes sobre o tema) e mediação de Pedro Tourinho (Diretor de Marketing na GEO, é produtor transmídia e especialista em Entretenimento e Mídia pela UCLA).

Ao vivo – https://www.facebook.com/vivo/app_375440962510363 ou, para decorar, http://bit.ly/livesmw

Três anos de Portal R7. Parece que foi ontem, mas… foi hoje!

http://embed.videolog.tv/v/index.php?id_video=833711&related=&hd=&color1=&color2=&color3=&slideshow=&config_url=&

Lançamento do R7 Portal de Notícias da Rede Record por perolasblogs no Videolog.tv.

Entre no YouTube e veja a data do vídeo: 27 de setembro de 2009. Exatamente o dia em que o Portal R7 entrou no ar. Hoje, 27 de setembro de 2012, olho pra trás e penso:

– Parece que foi ontem!

Mas não foi. Foi hoje. Um hoje que já dura três anos, porque um portal de internet não para nunca. Ele funciona realmente sem parar, 24 horas por dia, todos os dias, ininterruptamente, desde quando entrou no ar. É uma linha do tempo contínua.

Um portal também não é como uma emissora de TV, na qual as coisas passam. Aqui, tudo fica. Tudo o que foi escrito, fotografado, gravado, comentado, publicado continua disponível para você ver. Sempre acessível, online, à disposição do seu clique.

Tudo pode ser não apenas encontrado, mas medido. O número de links postados, de caracteres digitados, de vídeos produzidos, de notícias apuradas. A audiência, a curva incrível de crescimento do portal. E o que é medido, dizem, pode sempre ser melhorado.

É o que temos feito. Há três anos, estamos diariamente fazendo e aprendendo, estudando e inovando, corrigindo rumos e acompanhando as mudanças nessa velocidade louca em que tudo acontece. Embora para um adolescente três anos significam o segundo grau inteiro, ou quase o tempo de um curso superior completo, para quem trabalha é um sopro.

Mas não é nem o tempo, nem a tecnologia, nem a informação os elementos que constituem a graça de se trabalhar num grande portal. São as pessoas.

O empenho dos profissionais em fazer o melhor, a corrida para dar a notícia de forma correta e antes da concorrência, as pautas originais, a busca pelo gosto do público, a vibração em ver o resultado de uma reportagem, a aprovação de uma boa foto. Dá gosto de ver a alegria de cada profissional comemorando cada pequena vitória.

O ambiente da redação é ao mesmo tempo tenso e feliz. Todo mundo ligado o tempo todo. São centenas e centenas de computadores, dúzias e mais dúzias de monitores de TV ligados, telefones que tocam nas mesas, celulares que gritam, rádios que apitam, gente que vem e que vai. É quase uma colmeia incessantemente polinizando e produzindo mel, zunindo dia e noite para oferecer o melhor a todos os que nos visitam.

Há uma temperatura, uma pulsação que só as redações têm. E, claro, junto com a equipe imensa de infraestrutura, o apoio administrativo, a turma da arte, de vídeos e aquele mar de especialistas em TI. E, claro, tudo regado a muita água, chá, cafezinho, conversas, palpites, reuniões, risadas e deliciosas ousadias, como os deliciosos gifs animados do canal de Esquisitices.

Hoje o Portal R7 faz três anos. E, por ser caçula entre os grandes portais do Brasil, já nasceu social. É um nativo digital, tem a ginga da conversa, a bossa da interação. Basta ver o sucesso que o R7 é no Facebook e no Twitter, só para dar dois exemplos. E, claro, tem todos os canais, os programas, as grandes coberturas como eleições, eventos esportivos e os mais de cem blogs que cobrem todos os assuntos imagináveis, o cross media com a TV, promoções, produtos, serviços. Nem dá pra falar de tudo.

Só sei que é muito bom ser parte da história, não apenas testemunhando, mas ajudando a escrevê-la. E você é parte dessa história de três anos.

Parabéns. A todos os envolvidos.

Aqui, fotos do dia da inauguração do R7 quando esse interminável hoje começou para nunca mais parar.

🙂