One Pocket : Case de iPhone que também é carteira. Pra quem não usa bolsa, deve funcionar.

O Rodrigo me mandou um tweet.

//platform.twitter.com/widgets.js

Não conhecia e fui ver o projeto no KickStarter.

http://www.kickstarter.com/projects/1729425617/onepocket-more-than-a-case-more-than-a-wallet/widget/video.html

Parece interessante para quem não usa bolsa e bota tudo no bolso.

O que vc achou?

O tempo passa, a uva passa, a banana passa. Agora o melhor: morango passa também!

Frutas desidratadas

 

O mundo se divide em pessoas que amam ou odeiam uva passa. Deve haver quem fique indiferente em teoria, mas diante do encontro com a própria ou a pessoa come a uvinha ou a coloca de lado. Eu já fui contra, hoje adoro, no pão de nozes, chocotone, no bolo de carne moída, na salada. Prefiro a uva passa branca à escura, mas taí uma preferência pessoal que pouco interessa ao mundo. Mas, ok, passou. A uva passa como tudo nessa vida, mas o tempo que também passa trouxe uma ótima lição nesse setor de frutas desidratadas, o morango.

 

O morango desidratado pode vir em forma natural, como acima ou glaceados, com uma fina camadinha de sacarose. Em tese eu prefiro tudo sem açúcar, mas, olha, o moranguinho com um toque glaceado é espetacular.

Conheci o morango e outras frutas desidratas além da banana, uva, maçã, damasco nessa última viagem a Israel. Fomos até o mar morto e estávamos morrendo de fome. Em vez de almoçar ,comprei duas caixinhas de frutas desidratadas para comermos no caminho. Tinha kiwi desidratado, manga, mamão, pêssego, ameixa e… morangos.

De volta ao Brasil, na véspera do dia dos pais, encontrei morangos desidratados pra vender no Marché e comprei uma caixinha. Foi o maior sucesso da temporada.

Agora vi que é possível comprá-los online na Zona Cerelista. 

E, como estou interessada em desidratar as frutas em casa (eu já fiz muito com abacaxi, no forno, fica delicioso) pesquisei no YouTube e tem vááaááários vídeos ensinando a fazer as frutas desidratadas. Dica: podemos comprar bandejas desidratadoras ou podemos fazer em bandejas no forno em fogo baixo mesmo.

Só sei que é bom, saudável e barato.

 

E você? Tem dica pra compartilhar? Já fez frutas desidratadas em casa? Passa pra gente!

Sabe por que o joguinhos viciam? Pelo mesmo motivo que você precisa saber o fim da piada, o efeito Zeigarnik. Leia pra entender.

O cérebro humano não consegue conviver com a dúvida. Com a tarefa não completada. Ele tem que terminar a coisa até o fim, senão, não sossega.

Se você ouvir a pior piada do mundo no rádio, ou um adivinha do tipo o que é o que é, e deixar a resolução pra depois do intervalo comercial, você vai esperar o intervalo mesmo que a piada seja um lixo e a adivinhação seja idiota.

É por isso que as pessoas ficam esperando o João Kleber mostrar o que tem na caixa, por isso você é pego no ~gancho~ que a TV deixa para o próximo bloco ou episódio, por isso você joga Candy Crush e outros joguinhos loucamente.

Isso tem um nome, é o Efeito Zeigarnik.

O Efeito Zeigarnik foi observado a partir do comportamanto de garçons em Viena nos anos 30. Os garçons memorizavam os pedidos e, apesar de serem interrompidos pelos clientes, sempre lembravam o que tinham que levar para as mesas certas até que a tarefa tivesse sido cumprida. Depois esqueciam. Isso levou a um estudo que constatou que depois que você começa uma tarefa, a interrupção faz com que você queira terminá-la de qualquer forma. Você simplesmente TEM que ir até o final. Ou seja, o cérebro fica ligado enquanto o pedido não é entregue, enquanto a tarefa não é cumprida.

A conclusão é que o cérebro PRECISA DE UM DESFECHO. Closure. Enquanto ele não sabe o final, a explicação, ele não se conforma. Por isso lembramos melhor quando a tarefa está incompleta.

E, deve ser por isso que, quando você não tem acesso à verdade, à resposta, ao final, você INVENTA um. Veja os crimes. Você não sabe o que aconteceu então INVENTA uma teoria confortável pra poder arquivar o caso.

Ontem ouvi a coluna de Daniela Braun na CBN e ela falou de uma matéria da BBC em que um professor de psicologia cognitiva de Sheffield chamado Tom Stafford, usou o EFeito Zeigarnik para explicar o vício de joguinhos tipo Candy Crush, que foram projetados a partir deste fenômeno, o de que o nosso cérebro precisa completar o par, a tarefa, a lista, para saber o final,

O efeito é geral e explica facilmente a adição de joguinhs e suas variantes, desde o Tetris até o Bejeweled, o Candy Crush e qualquer outro.

Sempre percebi isso, mas não sabia a teoria por trás. Nas minhas palavras eu notava essa necessidade do cérebro em ‘fazer o parzinho’ do jogo da memória e o prazer incrível de formá-lo. É como se o cérebro batesse palminhas pra si mesmo, aquela sensação de YES! que a gente tem.

Agora sabemos que tudo isso já foi estudado e tem nome.

Ah, só um detalhe, que fala do nosso ‘preconceito’.

Como todas as matérias sobre o efeito Zeigarnik são em inglês, a gente lê ‘a russian psycologist’ estudou isso e conclui… que era um homem.

Pois não era. Bluma Zeigarnik era uma mulher. E muito bonita.

Taí uma coisa pro cérebro se envergonhar, dos seus preconceitos machistas.

Saiba mais:

1. Áudio da coluna de Daniela Braun na CBN falando sobre o vício do Candy Crush.

http://www.cbn.com.br/Player/player.htm?audio=2013/colunas/tecnologia_130807&OAS_sitepage=cbn/comentarios/

2. O efeito viciante de Zeigarnik no Candy Crush- em inglês.

3. O Efeito Zeigarnik

4. The Psychology of Tetris

A sorte em suas mãos, ótimo filme argentino

Cheguei de viagem toda ligada na ‘cena’ cultural. (o ” é para ironizar o fato de todo mundo TER que usar a palavra CENA quando fala de qualquer coisa ligada à cultura). Domingo à noite fui à Sala São Paulo ver a Orquestra filarmônica de Câmara de Bremmen tocando a oitava e a nona sinfonia de Beethoven com coro emocionante da OSESP, sob regência do estoniano Paavo Järvi, terça fui na pré-estreia do Festival de Cinema Judaico na Hebraica ver a exibição do excelente filme ( é comédia ) argentino “A sorte em suas mãos”, amanhã vou ver a pré-estreia de la Verità, da companhia Finzi Pasca, da Suíça.

Hoje eu não vou fazer nada além de trabalho porque tenho participação ao vivo no Hoje em Dia logo cedo, depois tenho terapia e trabalho e à noite, lá pelas 10, faço a coluna de Vida em Rede com o Heródoto Barbeiro no Jornal da Record News.

Se desse eu iria no lançamento do livro do Porta dos Fundos no conjunto nacional.

Quem sabe eu passe por lá rapidinho em algum momento? Só pra completar o bingo cultural da semana.

Abaixo, os links.

1. Programação do Festival de Cinema Judaico –

Grade 2013.

2. A sorte em suas mãos

3.La Verità

Truque pra fazer ‘raspadinha’ (slushie) com qualquer refrigerante

//www.youtube-nocookie.com/v/5T68TvdoSbI?hl=pt_BR&version=3

É inverno no Brasil.
Mas o truque poderá ser aproveitado em qualquer dia quente.
Interessante.
Nâo tomo refrigerante, nunca tomei uma coca-cola na vida. Mas se você experimentar e achar legal, me conte.

PS – Já tomei alguns goles de guaraná e já tomei umas latinhas de água tônica. E é esse todo meu repertório de refris.
🙂

Vídeo impressionante: paciente ‘liga’ e ‘desliga’ doença de Parkinson

Vi este vídeo no Kottke.org. É tão impressionante que, por um segundo, você acha que não pode ser real. É totalmente real. A ciência é que é impressionante.

Fui pesquisar o caso dele e encontrei informações no Medical Daily.

O blogueiro neozelandês Andrew Johnson foi diagnoticado com Mal de Parkinson em 2009, aos 35 anos. Desde então ele vem sofrendo descontroles motores e tremores progressivos.

No final de 2012 sua coordenação motora estava tão fora de controle que Andrew optou por uma cirurgia de última geração chamada Deep Brain Stimulation (DBS), traduzida como Estímulo Cerebral Profundo. Um marcapasso foi implantado na região motora do cérebro, programado para liberar pulsos elétricos regulares nos tecidos vizinhos para impedir os tremores. Em fevereiro deste ano ele fez uma segunda cirurgia para um novo implante. Depois de quatro meses ele fez o vídeo acima para mostrar a diferença entre o modo ‘on’ e ‘off’ do marcapasso.

Andrew fez o vídeo (que está viralizando pelo Reddit) antes de uma viagem de avião. Foi a primeira vez que ele desligou o marcapasso e queria registrar o que acontecia para publicar em seu blog.

O blogueiro Leandro Lopes Continue Lendo “Vídeo impressionante: paciente ‘liga’ e ‘desliga’ doença de Parkinson”