Ipad, com mouse sem fio e teclado bluetooth. E o Brydge, sensacional

Estou com um iPad3 em casa (ou novo iPad) mas ainda não instalei nada, nem mexi com ele. Pra não dizer que não fiz nada, testei a versão ‘siri’ para ditados em inglês. Funciona lindamente. Mas o Dragon Dictation, app que já comentei aqui no blog, também atende bem e com a vantagem de compreender (mais ou menos) a língua portuguesa.

Mas o assunto não é o Novo Ipad e sim uma configuração para usar o iPad2 com mouse e um novo teclado via bluetooth ao mesmo tempo. O primeiro requisito é que o iPad tenha jailbreak. Sem isso, não dá pra instalar o Cydia e os aplicativos que permitem a conexão de mouse e teclado via Bluetooth de forma simultânea.

Vamos começar com a foto do conjunto:

O teclado ultrafino da Logitech é uma ‘capa’ pra iPad, o Ultrathin Keyboard Cover. Custa em torno de 100 dólares, o famoso U$99,99. Tem um review dele aqui, em inglês.

Eu queria outro teclado, o Brydge. Mas ele nem foi lançado ainda. É um sonho.

Tentei achar outro em Berlin enquanto meu marido pesquisava na Filadélfia. Nada. É esse aqui, que transforma o iPad num macbook. O case é ótimo e tem até saída USB. Mas por enquanto está mais fácil de ser encontrado no Japão. O nome dele é NoteBookCase.

Mas, voltemos ao Logitech. Ele é bom como teclado, mas não é bom como capa, no sentido que não protege o iPad. Tanto é que meu marido trouxe um iPad3 na mala de mão conectado a este teclado e adivinhe? O iPad quebrou o vidro, bem no cantinho. Dá pra usar normalmente, mas não é a mesma coisa, né. Meu marido é o melhor homem do mundo e trouxe o presente de dia das mães pra mim. Como ele não é um geek, ele não tinha a dimensão de que fazer o unboxing do novo ipad seria um momento único pra mim. Ele trouxe sem a caixa, com o teclado como capa e aconteceu isso. Agora vou ter que ficar sem usá-lo e gastar quase 600 reais pra trocar o vidro. E isso daqui a meio mês. Se você precisar trocar o vidro touch deixe um recado que eu passo o contato de quem faz isso. A parte boa é que o teclado serve pra iPad2 também. Veja essa foto do teclado da Logitech, que simpático

Para usar o teclado você não precisa de iPad com jailbreak. É só ligar o bluetooth no iPad, acionar o botãozinho ao lado do teclado para torná-lo visível, emparelhá-los e voilà. Está tudo funcionando.

Acontece que eu sou meio pentelha e quero usar o mouse também. E aí não dá. Pelo bluetooth normal você não consegue usar dois dispositivos simultaneamente, mouse AND teclado. Então parti para o mundo piratex.

O iPad2 está com o sistema operacional na versão 5.0.1 com jailbreak. Ou seja, tem Cydia instalado.

Pelo Cydia você instala dois aplicativos, um gratuito e outro pago. O gratuito instala o mouse, o BTSTack Mouse. O pago instala o BTStack keyboard, por 5 dólares, que paguei com PayPal.

Há vários sites com tutoriais para fazer esta operação. No YouTube você também encontra vídeos mostrando o passo a passo para fazer jailbreak, instalar o Cydia, encontrar o BTSTack. Não é complicado, é só não ter medo de fazer.

Muita gente acha que é bobagem fazer esse esforço todo para usar o iPad como notebook. Eu não acho. Escrevo bastante e o conforto de um teclado é imprescindível. Escrever no teclado virtual é um horror.

A solução pra mim foi bacana. Também gosto muito do meu teclado com dock, que dispensa o bluetooth porque a conexão é física. Fica lindo com o teclado branco, iPad branco e mouse branquinho. Fiz essa configuração pra viajar pro YouPix em São Francisco no final do ano passado.

Enfim, o bacana é saber o que é possível fazer, quanto custa, como proceder. A opção do que fazer é de cada um.

BTW, alguém aqui conhece o Brydge?
Vou encomendar o meu. Quer dizer, vou doar uma grana pra ajudar a moçada a lançar.

Leia mais sobre o Brydge aqui, em português.

iPad2 chega ao Brasil amanhã. Qual comprar?

Tudo o que você precisa saber sobre o iPad2, que começa a ser vendido no Brasil amanhã, está aqui nesta matéria do R7, super completa e com outros links relacionados. De preços a locais onde comprar. Tem tudo mesmo.

Porém, como proprietária de um iPad e um iPad2, sinto-me apta a dar uns pitacos. Vamos lá.

O iPad é ótimo. Lá se vai um ano desde que ganhei o meu e fiz um vídeo apresentando-o.

http://videos.r7.com/r7/service/video/playervideo.html?idMedia=4d59385c9dfc1bf61d9a60ca&idCategory=37&embedded=true

É, ele não tem câmera. Mas não fez muita falta até hoje. Tenho um iPhone4 que supre todas as necessidades de fotos, vídeos e transmissões em streaming. O chip 3G que tenho da Claro é muito bom e nunca me deixou na mão. Sempre que quero me conectar à Internet eu consigo pelo iPad.

Quando saiu o iPad2 eu fiquei com um pouco de vontade. Mas achei que não era necessário, apesar do desejo.
Eis que meu marido foi viajar e trouxe um iPad2 pra mim. Pedi um smartcover laranja e compus com uma capa laranja que eu já tinha. Ficou lindo.

Porém, apesar de ter pedido um modelo com 3G, o vendedor entregou errado. E ele chegou ao Brasil com a versão apenas em WiFi. Num primeiro momento fiquei muito chateada, assim como ele. Em seguida lembrei que o iPhone4 funciona como hotspot, ou seja, você conecta o iPhone4 e o iPad2 em bluetooth e voilà, o iPad2 se conecta à Internet pela linha telefônica 3G do seu telefone.

Mas é a mesma coisa? Não exatamente.

Fiz o teste de velocidade com os dois, com o iPad usando o seu chip 3G (da Claro) e o iPad2 usando o 3G do iphone4 via hotspot, também da Claro e a diferença de velocidade é muito grande. Enquanto o iPad com o chip 3G chega a 0.76MBps, o iPad2 com hotspot do iPhone4 via bluetooth não passa de 0.12. É uma diferença grande.

Depois que publiquei essa diferença de velocidade, porém, recebi um comentário do David Lima (santo comentário) dizendo que isso acontecia porque eu fiz a conexão em bluetooth e eu deveria ter feito por wifi. Veja:

“O que está tornando tudo lento é que a Rosana está conectando os dois via Bluetooth, quando na verdade deveria criar a rede no Iphone 4 (rede wifi) para que o Ipad2 acesse a internet via wifi do telefone. Entendeu? O iphone 4 vira hotspot como se fosse um modem wifi, creio que assim ficará mais rápido do que conectado via bluetooth.
David Lima”

Realmente, a coisa fica totalmente diferente. Com a conexão wifi entre os dois aparelhos (mas usando o 3G do telefone) a velocidade aumenta e gasta menos bateria do iphone, já que o Bluetooth é um consumidor de carga. Valeu David!

Assim, eu diria o seguinte, na minha opinião:

1. Se você quiser ter um tablet, compre o que você achar mais simpático pra você. Até mesmo um iPad antigo que deve estar bem barato e é simplesmente ótimo. Nesse caso, compre com 3G.
2. Se você quiser tem um iPad2 e já tiver um celular com hotspot, compre a versão apenas com WiFi, que vai sair bem mais barato.
3. Se você quiser ter um iPad2 com chip, recomendo também, mas dificilmente você vai andar sem um celular por perto, que serviria de modem tranquilamente apesar da perda de velocidade. Só que… pra que você vai ter DOIS planos de dados se você pode ter só um? Isso sim vai fazer diferença no seu orçamento.
4. Se você pretente viajar, deixe pra comprar na viagem. Sai bem mais barato, você compra mais acessórios e, bem, viajar está tão barato que compensa. E viajar, não tem preço. É patrimônio de vida!

PS – meu amigo Ivan Freitas, o @ivan, tem os dois, iPad e ipad2, com chip 3G e comparou as velocidades.

E o iPad, hein?

A coisa é complicada. Antigamente (olha a saudosista entranto na avenida aí, gente!) informação era informação e marketing era marketing. Misturaram-se completamente. A gente já não sabe mais se a informação faz parte da estratégia de marketing ou não.

Veja o caso do novo ipad. Uma hora você lê que as unidades já estão sendo produzidas, mas que o lançamento foi adiado pra junho. Eis que hoje leio no The Mail que o iPad 2 deve ser lançado no dia 2 de março! Se bem que eu não sei se ele será “revelado” apenas ou se as vendas já começariam. Acho que sim, como sempre foi feito por Steve Jobs, que está em licença de saúde novamente.

O jeito é esperar.

Por enquanto, bom dia.

PS – Olha o 2 de março no R7…

Vendo “The Daily”, 1o. jornal digital diário para o iPad do mundo

Está no R7. Leia lá. Rupert Murdoch, famoso magnata das comunicações, lançou o primeiro jornal diário exclusivo para iPad, o The Daily. O jornal é pago, mas como promoção de lançamento é gratuito por duas semanas para você baixar.

Acabei de fazer o download e estou vendo algumas notícias. A interface é bonita, tem animações na capas das seções, a abertura do aplicativo tem vinheta em áudio e vídeo, como um telejornal. Tem também um índice em forma de ‘carrossel’ de páginas, que você vai passando adiante e escolhendo, parecido com o efeito genius da barra do iMac, que amplia os ícones. Nada demais.

E, concordo com algumas questões levantadas neste vídeo da BBC. Como será a atualização? Uma vez por dia ou assim que as notícias acontecerem? Já não tem conteúdo suficiente na rede, pra que mais um jornal que só existe para o iPad? Faz sentido pagar por notícias quando se tem acesso a todas elas gratuitamente?

Será que alguém vai pagar 0,99 dólares por semana? O ano todo?

Enfim, não é um acontecimento, não é um divisor de águas, uma revolução. Nesse aspecto, o Flipboard é muito mais inovador.

Por enquanto é gratuito e eu estou experimentando. 🙂

http://www.bbc.co.uk/emp/external/player.swf

Aqui, alguns screenshots:

Capa pra iPad com teclado bluetooth

Fui a uma das lojas que gosto de visitar sempre que viajo pros Estados Unidos, a Brookstone. Adoro ver as novidades. Encontrei (e comprei) este Bluetooth Keyboard Portfolio. É um ‘case’ para iPad que já vem com um teclado embutido. Basta você acionar o bluetooth do iPad, clicar em connect e, voilà, um suporte com teclado para escrever mais confortavelmente. Meio que atende as necessidades de viagem, substituindo o laptop ou netbook.

Eu, por exemplo, optei por trazer meu netbook em vez do iPad por isso mesmo. Da próxima vez, já podemos trazer o iPad no case com teclado. Vou testar quando voltar. No momento, estou iPadless.

Também aproveitei para passear por Times Square, visitar algumas lojas interessantes, passar numa drugstore. Onde quer que eu vá eu visito supermercados e farmácias. Me faz sentir em casa, comprando coisas pra família.

Ah, sim, o link do produto. Custa 99 dólares e vem com  um fone de ouvido de presente.

Angry Birds

Minha filha me ensinou a gostar dos Angry Birds. É um joguinho muito simpático pra iPhone, iPad e outros quetais, que todo mundo adora. É um dos jogos que mais jogo, depois de Scrabble, as palavras cruzadas. Também gosto muito de puzzles e jogos para a memória. É uma forma de manter o cérebro em forma, acho eu.

Recentemente, quando o Diego Maia me viciou no Alchemy, eu passei o Angry Birds pra ele como recomendação.

Hoje, ele mandou o link do TechCrunch que traz imagens dos Angry Birds e seus personagem em …pelúcia! Coisa mais fofa do mundo. Eu quero todos!