Farofa, o n’ovo na Web

Farofa está entre os cinco finalistas do IBest, o que prova que das duas uma, ou não tem nenhum site que preste na mesma categoria ou realmente o povo não tem mistura e acaba optando pela farinha.
Porém, tirando o complexo de inferioridade terceiromundano, até que o site é legal pra chuchu.
Bom, então ficamos assim, de hora em hora uma colher de amora, de meia em meia uma xícara de areia e pela manhã, dez sementes de romã.

Encontrei, hoje cedo no meu barracão, uma fruta do conde no chão, com um email muito interessante.

Dizia ele que há um serviço na Web, o Blogger que faz FTP pra você, atualizando sua página de log, seu WebLog. Inscrevi o Farofa como página mas num outro lugar do site e o Cacilda pra fazer FTP automaticamente nesta página. Acho que dei certo, porque tenho dois lindos filhos.

Agora, é com você. É pegar, chacoalhar e largar.

Um beijo, um browse, um aperto de mouse

Farofa, o n’ovo na Web

Depois de inúmeras pesquisas em campo, especialmente santo, descobrimos que morrer é a pior coisa que pode acontecer na vida. Realmente, a morte é o fim da picada. Por isso, preparei meu próprio epitáfio, para que eu possa realmente descansar em paz, sem ficar preocupada que algum idiota vai redigir um texto sob o qual terei que repousar eternamente. Convenhamos, para quem passou a vida dedicando-se ao texto, nada poderia ser mais desagradável do que ter um outro autor assinando sua derradeira obra.

Assim, aviso a todos que, quando eu for encontrar com a grama pela raiz, que por favor, escrevam sobre a minha lápide este último desabafo:

“-Era SÓ o que me FALTAVA!!”