CBN – A rádio que toca notícia – Marielle Franco se tornou símbolo da barbárie da democracia golpeada no país

Source: CBN – A rádio que toca notícia – Marielle Franco se tornou símbolo da barbárie da democracia golpeada no país

Anúncios

Quanto você fez parte da história da internet no Brasil?

Desde a época em que a gente só conectava depois da meia-noite e recebia as montagens do Tourist Guy por email.

Source: Quanto você fez parte da história da internet no Brasil?

Poemas – use o verso se necessário

Eu ía na minha,Ele vinha na dele,ele na contraeu na mão.Até que entãoquase!Ufa, não!Frente a frente animais iguaismostram dentesBons sinais.Trocamos sorrisos,Nada mais.Nessa mesma década de 80, segunda metade, um poema concreto e minimalista me agarrou no meio do mato em que eu andava, ouvindo o som da água borbulhando ao longe e pensando…riachoachohá

Source: April | 2002 | We(B)etween us

Cuidado com o Virus da Mentira!

Cuidado com o Virus da Mentira!

Por Rosana Hermann
2000

A verdade precisa ser dita. E divulgada. Antes que sua caixa de correio fique lotada de mentiras.

As mensagens eletrônicas que circulam por todo o mundo sob a forma de “correntes” são todas falsas.

A maioria dos vírus sobre os quais as mensagens alertam não existe, e os que existem não contaminarão seu computador a menos que você abra os arquivos. Os pedidos de ajuda para crianças com câncer, além de não serem reais, causam transtornos para a Sociedade Americana de Câncer e ainda traem nossa confiança e boa intenção, nos fazendo de idiotas. O e-mail sobre um menino que tem pouco tempo de vida, cujo ultimo desejo é uma mensagem que circule o mundo eternamente, não tem fundamento. E mais: a historia é tão velha que o menino hoje, se existisse e vivesse, seria um senhor de idade avançada. A lenda da receita de um biscoito de chocolate, um cookie, circula comprovadamente há mais de 60 anos. Dizer a verdade dói. Mas passar mentiras adiante, alem de doer, custa muitas horas de conexão, congestiona a Rede, difama instituições serias e perpetua a estupidez nossa de cada dia.

A previsão do instituto americano de pesquisas IDC – International Database Corporation – é de que em 2005, alem de mim e você, haverá mais 1 bilhão de pessoas conectadas a Internet. Agora somos 147 milhões no mundo e, no Brasil, menos de 2,7 milhões. Por isso mesmo, devemos aproveitar enquanto ainda somos poucos e, de certa forma, pioneiros, para evitar o mau uso das mensagens de e-mail, como no caso da prática de spam.

Spam é o uso abusivo do correio eletrônico para mandar mensagens não solicitadas para uma grande quantidade de usuários, como malas diretas, pirâmides de enriquecimento fácil, abaixo-assinados e as amaldiçoadas “correntes”. Quando você tem a infelicidade de estar numa dessas grandes listas, você perde tempo e paciência. As mensagens chegam de todas as partes do mundo e, infelizmente, são traduzidas por algum infeliz que teve a incrível idéia de importar uma idiotice qualquer. Em certos casos, o usuário pode ter entrado em algum site e permitido o envio de noticias ou novidades por e-mail, mas, em geral, seu endereço eletrônico foi incluído sem sua permissão.

No Brasil existe uma associação de combate a essas mensagens indesejadas, o Movimento Brasileiro Anti-SPAM, onde você pode fazer denúncias e consultar listas-negras de spammers, entre outras coisas.

Entre as mensagens indesejadas, existem casos clássicos, como historias que já circulavam antes mesmo da invenção do e-mail e as noticias alarmantes de contaminação por vírus ou produtos cancerígenos. Alguns estudiosos pesquisam a fundo para descobrir a veracidade dessas historias, chamadas na Internet de “Lendas Urbanas”. Ate hoje, nenhuma foi confirmada. Conheça alguns dos e-mails de spam mais comuns e descubra como a ingenuidade de muitos nutre a má intenção de alguns poucos.

Pequenos e-mails, grandes bobagens

Cuidado com o virus!

A célula-mater de todos os boatos. Primeiro porque um vírus não pode infectar seu computador via e-mail. O vírus pode sim infectar seu computador se ele vier através de um arquivo anexado a um e-mail, como o Happy99.exe, que vem anexado a mensagem sem que a pessoa que mandou perceba. Se você receber um e-mail com um arquivo em “attach” com esse nome, “Happy99.exe”, basta você não executar, não abrir o arquivo, que nada acontecera. Por isso mesmo, nunca habilite seu programa de correio para abrir automaticamente os programas anexos.

Entre os vírus que não existem, sempre mencionados nesses e-mails, estão os seguintes:

– A.I.D.S. Computer Virus

– AOL4FREE virus

– Budwiser Frog virus

– Join The Crew virus

– Penpal Greetings virus

– “Win A Holiday” virus

 

Ajude uma criança doente

A historia da criança que tem câncer e precisa do seu e-mail é uma das correntes mais antigas, talvez porque as pessoas bem-intencionadas acreditem que realmente poderão ajuda-la. Não é verdade. A corrente nunca será transformada em dinheiro para ajudar ninguém e o endereço eletrônico não é da Sociedade Americana de Câncer. Existe uma resposta publicada, chamada The American Cancer Society’s response, e também artigos na ZDNet. Não de um forward para esse tipo de mensagem. Se você realmente quiser ajudar uma criança, procure uma instituição de caridade real, por exemplo. Há outras versões desta corrente, para um garoto que tem pouco tempo de vida e quer que um e-mail seja perpetuado para manter sua memória viva. Acredite, não são reais.

A receita do cookie

Esta historia é mais velha que a nossa avó e já circulava com outras versões, como a da receita de bolo do hotel Waldorf Astoria em Nova York, cuja corrente tem mais de 60 anos. O e-mail conta o caso de uma pessoa que pediu a receita de um biscoito que comeu num restaurante, um cookie de chocolate, e acabou lhe sendo cobrada em seu cartão de credito a quantia de 250 dólares pela receita. Numa suposta vingança, a senhora passaria a receita de graça para o planeta inteiro. Trata-se de um “mito urbano” estudado e pesquisado. Não passe o e-mail adiante. É uma bobagem e, ainda por cima, uma bobagem americana. Quem já fez a receita, porém, garante que o biscoito é delicioso. Se você quiser uma copia da receita, vá ao final do texto e clique no link.

Troque seu Nike velho

Esta lenda diz que seu par de tênis usado poderá ser doado para reciclagem. Em troca, por sua boa ação, você recebera um par de tênis novinho. Mais uma historia pé-de-chinelo.

Perigo no shampoo, filtro solar

Existem certas verdades que não podemos negar. Se você comer todo o conteúdo do seu filtro solar e tomar todo o shampoo é provável que você adoeça. Mas os e-mails que circulam avisando sobre substancias tóxicas e cancerígenas não foram comprovados.

Guiness Book of World Records e o Totem da Sorte

Não caia nessas. Para entrar no Guiness é preciso muito mais do que dar um “forward” num e-mail. E o Totem da Sorte, supostamente do Havaí, além de muito feio, nunca fez ninguém ficar rico. Ao contrario, empobrece o espírito.

OS FATOS E OS BOATOS DOS E-MAILS

Sejamos realistas. As grandes empresas não passam correntes. Nem o Bill Gates, nem a Disney dariam nada gratuitamente a você. E, se você realmente quiser doar seus órgãos para transplante, um gesto nobre e humano, registre-se como doador aqui mesmo no Brasil. Porque, passando e-mails, você não vai fazer com que alguém em Nova Orleans receba um rim ou um fígado.

Mas, se você não consegue controlar seu desejo de encaminhar uma mensagem para seus amigos, ou futuros ex-amigos, pedimos que ao menos siga algumas regras básicas de convivência, como estas:

– Se você usa o Outlook Express ou o Netscape, não habilite o HTML para formatação de mensagens (Ferramentas/Opções/Enviar). As pessoas que usam plataformas Unix, por exemplo, não vão conseguir ler nada. Nem a receita do biscoito.

– Caso sua vontade de encaminhar (“forward”) a mensagem seja incontrolável, pelo menos não envie dois quilômetros de mensagem, a menos que você esteja sendo atacado por índios. Apague-os manualmente ou, se a versão do seu Outlook Express permitir, desabilite a função (Ferramentas/Opções/Enviar/Formato para envio de Mensagens, Sem formatação – Configurações) e desabilite o recuo.

Agora, se mesmo assim você não tem coragem de interromper uma corrente, porque tem medo de que o céu caia sobre sua cabeça, porque a plantação de repolho de um agricultor no Texas que quebrou a corrente foi devorada por gafanhotos, ou porque uma senhora na Transilvânia não copiou o e-mail e o seu periquito de estimação teve um ataque de caspa e morreu, saiba que, para cada corrente que você manda, e quanto mais correntes você passar, mais rápido você irá ao inferno.”

—-//—-

Rosana Hermann é jornalista e apresenta o telejornal matinal Fala,Brasil, na Rede Record de Televisão.

********************************************************************************************************************************

PARA NÓS QUE RECEBEMOS O E-MAIL FALANDO DA DOAÇÃO DOS CACHORRINHOS COCKER.

 

Os cachorros não existem…

Meu nome é Rosana Hermann. Sou jornalista e apresento o telejornal matinal Fala, Brasil, na Rede Record de Televisão e estou aqui para dizer que esses cachorrinhos só existem na nossa imaginação, lá onde moram os gnomos, os duendes e os projetos que vão acabar com a pobreza no Brasil por decreto lei.

Há dez dias, circula na internet o e-mail que vocês todos receberam, sobre o “Canil Bom Lar”, que estaria doando ” 875 filhotes de cocker spanel”. Em primeiro lugar, o cocker não é ‘spanel’ é span”i”el. Mas isso não é relevante, assim, passemos adiante.

O texto diz que o canil teria “875” filhotes de cocker spaniel. Oitocentos e setenta e cinco filhotes da mesma raça. Se cada fêmea tem, em média, digamos, 8 filhotes, seriam mais de 100 FEMEAS que teriam parido quase simultaneamente. Além da profusão de partos, há que considerar-se o espaço e a infra-estrutura para tantos cachorros!

Improvável, mas não impossível. Parece versão cocker dos 101 dálmatas, mas, sigamos.

Ocorre que o texto tem um telefone, de Brasília, e que poderia ser contatado desde a primeira mensagem, para fazer aquilo que nós jornalistas chamamos de ‘checar a fonte’ . Infelizmente, como é mais fácil encaminhar uma mensagem do que fazer um telefonema, pra não mencionar que é mais barato, centenas e centenas e centenas de mensagem foram sendo reproduzidas e divulgadas com uma mentira.

Exatamente. Não há canil, não há filhotes. há sim, uma mulher, simpaticíssima, Edna Maria de Assis do Valle, mãe de um garoto com o nome assinado na mensagem, Bruno Leandro, cuja vida virou não um canil, mas um inferno, por causa deste e-mail e de nossas milhares e milhares de boas intenções e afeto canino.

Falei com ela há poucos minutos e sabem como ela atendeu à ligação?

– Aqui não é do canil!

Ela, praticamente, latiu para mim, tão transtornada que está. Sabe até onde chegou esta loucura da versão tupiniquim dos 101 Dálmatas? Do Rio Grande do sul até Fernando de Noronha.

Há rádios no Rio Grande do Sul fazendo CAMPANHAS no ar para que as pessoas fretem aviões e busquem os filhotes inexistentes, segundo Edna. Nenhum radialista ligou pra ela pra ‘checar’ a informação.

Há empresários já dispostos distribuir os filhotes entre seus funcionários.

Uma pessoa de uma grande empresa, ligou pra ela e, ao descobrir que era um boato, disse:

– Xi….eu já repassei a mensagem para duas páginas inteiras só com endereços de emails!

Ele telefonou pra ela DEPOIS de passar a mensagem adiante.

O que estará acontecendo com todos nós? É pressa? É loucura? É cachorrada?

Estaríamos todos loucos em acreditar em tudo que é escrito?

É um pássaro, é um avião ou é um cocker spaniel?

Quem somos? De onde viemos? Eram os deuses astronautas?

Desculpem a intromissão, eu sou mesmo muito chata. Não é da minha conta. Mas eu, como você, recebo todos os dias, alertas de vírus que não existem, boatos sobre crianças que estão morrendo e nunca nasceram, misturadas com gente de carne e osso que precisa de sangue, de ajuda. São pais verdadeiros cujos filhos desapareceram, convivendo nas nossas caixas postais com sapos da budweiser que não contaminam através do screen saver.

A internet pode ser a melhor possibilidade de encontrar a nossa sonhada agulha no meio do palheiro, mas é preciso separar o joio do trigo. E veja que a gente nem sabe o que é o joio, mas está em todos os dicionários. É só ir ao palheiro e lá estará a agulha. É uma erva daninha que, lógico, nasce no trigal.

Eu também prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo… mas eu nasci há dez mil anos atrás e tenho medo que nossa falta de critério, nossa credulidade inocente, nossa boa-intenção mal-fundamentada, nos leve a repetir erros e mais erros, dando ibope a imbecis de todas as áreas, enriquecendo corruptos em todos os cantos, ou, Deus me livre, reelegendo nossos próprios demônios.

Um beijo humano da

Rosana Hermann