Fantasmagórica# / on Instagram http://instagr.am/p/MrQBHJjyNa/

Anúncios

Bóson de Higgs existe, mas não é partícula de D’us.

Não tenha medo do termo “Bóson de Higgs”. É só um nome. Como Pastel de Belém ou Camisa de Vênus. Ok, Belém é um lugar na Terra, Vênus é um planeta no sistema solar e Higgs é um físico britânico. Acontece que hoje o Bóson de Higgs está nos trending topics do Brasil, acima do Louro José, veja que dia histórico. Vamos em frente.

O ser humano sempre quis entender o universo, como as coisas funcionam. Ok, nem todo mundo se interessa, alguns apenas querem comer pastel e fazer sexo seguro. Acho bacana também. Mas os cientistas, comendo ou não em qualquer sentido, querem entender tudo e, para isso, constroem modelos. Esses modelos podem mudar com as novas descobertas científicas. A ciência está sempre propondo modelos para entender o universo.

Até hoje, o modelo cosmológico vigente é a Teoria do Big Bang que se tornou tão pop que virou série de TV. Bazinga! De acordo com a Teoria do Big Bang, o Universo um dia esteve num estado denso e quente e passou a se expandir muito rapidamente. Essa rápida expansão teria causado um resfriamento e o universo entrou num estado de expansão permanente. O Big Bang teria acontecido há 13.75 bilhões de anos, o que seria a idade do universo.

Nesse resfriamento houve uma conversão de energia em partículas subatômicas,incluindo elétrons, prótons e neutrons, as partículas que formam os átomos.

(Adendo do prof. Dulcídio – Elétrons são elementares pois não são feitos de nada menor. Prótons e nêutrons são feitos de quarks e, portanto, não são elementares. :-))

Nos anos 60/70 foi desenvolvido um modelo chamado Modelo Padrão que explicaria todas as partículas fundamentais do universo e a interação entre elas. Muitas partículas teóricas foram propostas então e, de lá pra cá muitas foram realmente descobertas, comprovadas. Uma partícula, o Bóson de Higgs, proposta pelo físico britânico Peter Higgs em 1964 não tinha sido comprovada até ontem.

O bóson de Higgs explicaria uma característica fundamental das partículas, a massa. A massa seria como uma “carga grativacional inercial ” em analogia à carga elétrica. O campo de Higgs estaria em todo lugar e cada interação de uma partícula com esse campo (espero não estar escrevendo uma besteira, Senhor!) reagiria de uma maneira, tendo uma ‘massa’. Muitas partículas foram descobertas, mas faltava o Bóson de Higgs, que confirmaria o Modelo Padrão de Partículas elementares que explicaria como as outras partículas “adquirem massa~.

Porém, como os físicos precisam de experimentos para comprovar as coisas, só com a construção do LHC, Large Hadron Collider no CERN, na Suiça, foi possível chegar a essa realidade.

Ontem, o CERN anunciou, com 99,9999999% de certeza a confirmação da existência do Bóson de Higgs. Higgs estava presente e chorou.

 

 

http://player.ooyala.com/player.js?height=315&deepLinkEmbedCode=QzeHRhNTohk3WMS3_K_GWoAr6Vsjpsci&embedCode=QzeHRhNTohk3WMS3_K_GWoAr6Vsjpsci&video_pcode=RvbGU6Z74XE_a3bj4QwRGByhq9h2&width=560

 

 

 

 

 

 

E por que o bóson de Higgs foi chamado de Partícula de D’us? Está aqui.

Quer dizer, era Goddamn particle, maldita partícula e o editor mudou o nome do prêmio Nobel para God Particle pra não ofender as pessoas!

 
Aproveite e veja essa animação em inglês, do Open Culture explicando o Bóson de Higgs.